fbpx

Quando falamos sobre SEO, automaticamente somos levados a pensar em palavras-chave que trazem algum resultado de pesquisa para o usuário. É preciso realizar uma vasta pesquisa de dados para compreender quais são elas e como aplicá-las nos textos de campanhas e sites das empresas. 

O metaverso é uma realidade hiper-realista acessada através de óculos especiais. Há a possibilidade de não sair de casa e fazer absolutamente tudo o que deseja: trabalhar, ver shows ou até mesmo se comunicar com as pessoas.

Mas no que diz respeito ao marketing digital, o metaverso influencia de alguma forma? A resposta é sim. Por se tratar de uma realidade virtual extremamente realista, o acesso a ela é intenso e não haverá muita distinção entre o real e o virtual. 

A facilidade do metaverso traz ao usuário a vontade de não sair de lá. O que recai no marketing virtual feito pelas empresas, que se hoje precisam se reinventar para obter a atenção dos usuários, imagine em uma realidade virtual hiper-realista?

O SEO precisará ser ainda mais assertivo na forma de abordagem, principalmente porque, no metaverso, o comando de voz será ainda mais utilizado. Com cada vez mais tempo dentro do metaverso, os usuários precisarão de conteúdos cada vez mais detalhados. 

As empresas precisarão, cada vez mais, pensar na experiência do cliente durante a jornada de compra, e quais os gatilhos certos usar para facilitar a compreensão do que está sendo dito. Ou melhor, de que forma o SEO poderá aparecer nos resultados de busca.

Funil de vendas é uma estratégia de marketing usada para entender o processo de compra dos clientes. Com eles é possível saber como eles são atraídos, quanto tempo demoram para entender sobre o produto e concluir uma compra.

O que muita gente não sabe é que, para cada objetivo que a empresa tenha, existe um tipo de funil para implementar nos canais de compra. É preciso levar em consideração o produto que é oferecido para traçar uma estratégia assertiva com o funil de vendas.

De início, é necessário pensar em quais metas a empresa quer atingir, seja vender mais, ser conhecida no mercado ou novos clientes para criar uma lista de fidelização. Neste artigo traremos tipos de funis de venda e o objetivo de cada um deles.

FUNIS COM OBJETIVO DE CONVERSÃO DE LEADS

Daremos três exemplos de funis com foco em conversão de leads.

Funil de vendas com foco em conversão de leads potenciais: o objetivo desde funil é atrair leads qualificados para a empresa e levá-los ao processo de compra. Geralmente é um funil adotado por empresas B2B. Os principais pontos são:

  • apresentar a empresa através de algum conteúdo;
  • entrar em contato com o lead;
  • agendar uma reunião com o lead;
  • apresentar as vantagens da empresa;
  • fazer uma proposta personalizada para cada lead;
  • trabalhar o processo de compra até concluí-lo.

Funil de vendas com foco em nutrir os leads: neste ponto, o objetivo é fazer com que os leads em potencial que entraram no topo do funil continuem o processo de compra. Uma forma de fazer com que isso ocorra é nutrindo esses potenciais clientes com conteúdos sobre a empresa, como:

  • cadastrar o lead na newsletter da empresa;
  • segmentar os objetivos e perfis de cada lead, a fim de enviar conteúdos assertivos;
  • enviar e-books;
  • enviar cases de sucesso da empresa.

Funil de vendas com foco em tomada de decisão: é um funil voltado para empresas que tem desgastes no momento de finalizar a compra, como abandono de carrinho. É indicado para empresas que tem um bom atrativo, mas o problema é a finalização, para isso se deve:

  • investir tempo para compreender os leads e suas necessidades;
  • ajustar propostas caso necessário;
  • marcar visitas presenciais ou chamar o cliente até a empresa;
  • apresentar os cases de sucesso da empresa.

FUNIS COM AUTOMAÇÕES

Em alguns casos, o problema com a conversão de leads está atrelado a falha humana, um dos processos que ajuda com que isso diminua e minimize os gastos é a automatização, como:

Funil de vendas direta: esse funil é feito com base em anúncios publicados em sites, é o que chamamos de banner, o qual quando clicamos, somos direcionados para o produto ou o serviço oferecido.

Funil de conteúdo e venda direta: é feito com o mesmo objetivo do funil de vendas direto, porém, há um conteúdo informativo atrelado a ele. É uma forma de atrair os leads ao blog e site da empresa através de um único clique.

Funil de vendas e encantamento: este funil usa como base central o envio de e-mail marketing para nutrir o cliente de informações sobre a empresa a fim de atraí-lo.

Funil de vendas postergada e encantamento: é utilizado o mesmo processo de anunciar, porém, o contato é encaminhado ao comercial da empresa que entrará em contato com o cliente para falar sobre o produto ou serviço que oferece.

Funil de vendas múltiplas e encantamento: é um funil de vendas que usa a estratégia de teste grátis ou valor menor de produto para chamar a atenção de clientes, e uma vez que a compra é feita e o cliente volta satisfeito, a empresa passa a usar o valor real de mercado.

FUNIS DE VENDAS DE ACORDO COM O PRODUTO E SERVIÇO

Os funis de venda precisam estar de acordo com o produto e serviço que é oferecido. O enfoque que se dá a um produto físico, para um digital, por assinatura ou uma prestação de serviço são completamente diferentes, segue:

Funil de lançamento: é voltado para estratégias de lançamento de alguma marca ou produto. Invista em conteúdos que atraiam o público para conhecer a marca, como pré-venda, descontos ou cupons.

Funil de webinário: voltado para levar os clientes a comprarem conteúdos ao vivo em vídeos, que possibilitam tirar dúvidas com especialistas.

Funil de produtos físicos: a estratégica para produtos físicos é atrair o público certo com conteúdos atrativos e valores acessíveis, mostrando que a empresa tem um diferencial.

Funil digital: para este funil é usado os métodos de atração juntamente com a nutrição, com iscas digitais, como ebooks e conteúdos sobre a marca.

Funil por assinatura: este funil precisa ser extremamente assertivo. Há diversos serviços por assinatura e geralmente, o menor preço é o que leva. É preciso ponderar o que vale a pena em valores e testes para chamar os clientes para a empresa.

FUNIS DIFERENCIAIS

Abaixo listamos alguns modelos de funis que podem ser utilizados em qualquer empresa ou segmento. É possível adaptá-los de acordo com as necessidades e objetivos encontrados em cada uma.

Funil Growth Hacking: é um funil de vendas que acompanha o marketing com experimentos, há cinco passos que devem ser seguidos:

  • mostrar para os usuários que a sua empresa é a solução para o problema deles;
  • oferecer uma boa experiência de compra;
  • manter os clientes engajados no negócio por meio de conteúdos relevantes;
  • criar estratégias para aumentar o faturamento;
  • fazer com que os clientes indiquem a empresa para outras pessoas.

Funil de cartas de vendas: é baseada em três pilares de compra:

  • criar relação de confiança com o lead, mostrando quem está por trás do produto/serviço que ele consome;
  • desenvolver a história da marca;
  • focar nas soluções que os produtos ou os serviços oferecem para o público.

Funil Step Tripwire: é o funil com métodos em oferecer testes grátis, prévias e descontos, para posteriormente oferecer produtos com valores maiores, uma vez que o cliente se fidelizar.

Funil Invisível: é um funil com base em período de teste, permitindo que o cliente utilize os serviços por um período, e se gostar, passa a consumir o produto. É muito comum essa estratégia em streaming, cursos e ebooks. 

Funil magnético de leads: é o funil que exige que o cliente preencha um formulário com contato para ter acesso a determinados conteúdos. Assim, a empresa consegue entrar em contato para concluir a compra, seja por mensagem, telefonema ou e-mail. 

Funil baseado nas redes sociais: é uma espécie de funil que busca a interação do público alvo, seja por post, enquetes ou campanhas. A ideia é atrair o público e conseguir ser assertivo na forma de divulgação dos produtos para este nicho específico.

Seja o segmento, produto ou serviço que for, sempre haverá um funil de vendas específico para a sua empresa crescer. É preciso analisar os processos, público-alvo e objetivos da empresa para conseguir traçar o melhor método de aplicação do funil na empresa. 

Nós da Mardini utilizamos um funil de vendas próprio em três níveis, para saber mais, entre em contato conosco e comece um novo processo para a sua empresa.

Você sabia que as multas por violação da LGPD podem chegar a 50 milhões por infração? Entenda como funciona e de que forma evitar problemas 

IMAGEM ILUSTRATIVA COMO MODELO

IMAGEM ILUSTRATIVA COMO MODELO

Multa de 2% sobre o faturamento anual que pode alcançar a marca de 50 milhões de reais. Esse é o prejuízo que um CNPJ pode ter caso vaze dados pessoais de clientes na internet. Mas para entender melhor como chegamos a esse ponto, vamos voltar um pouco.

O vazamento de dados na internet tem sido um problema recorrente nos últimos anos, não somente no Brasil, mas no mundo. Além do perigo de ser vítima de golpes, o vazamento de dados também deixa o usuário vulnerável a influências. 

Isso porque são os dados que determinam os algoritmos das redes e plataformas. Principalmente em função dos mecanismos de busca como o Google. Uma vez que fazemos uma pesquisa, somos bombardeados sobre aquela informação de todos os lados.  

Pensando nisso, em 2018, foi criada a Lei 13.709, chamada de Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que visa não somente punir os responsáveis por vazar dados pessoais de pessoas na internet, mas conscientizar que isso fere a liberdade, a privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.

O órgão responsável por fiscalizar violações digitais é a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), um braço do Governo Federal que analisa as denúncias feitas e orienta, através de guias informativos, o que implica o descumprimento dos pontos previstos por lei vazamento de dados. 

IMAGEM ILUSTRATIVA COMO MODELO

IMAGEM ILUSTRATIVA COMO MODELO

Como forma de promover que os dados pessoais fazem parte, inclusive da dignidade humana, desde fevereiro de 2022 a proteção de dados foi promulgada como um direito fundamental atrelado ao art. 5º da Constituição Federal.

A LGPD prevê que o responsável por vazar dados pessoais deve pagar uma multa de 2% sobre o faturamento anual. E essa punição passou a entrar em vigor em agosto de 2021, três anos após a Lei ter sido aprovada no Congresso Nacional.

A punição, porém, somente é aplicada caso a empresa que tenha usado as informações de forma negligente, descumprindo os pontos levantados na LGPD, e pode ser feita de maneira retroativa. 

Ou seja, caso a empresa tenha cometido algum crime de vazamento de dados desde agosto de 2021, está passível de multa. As regras para os cálculos de valores ainda não foram divulgadas. 

O Facebook e o vazamento de dados 

Em 2018, a rede social mais famosa do mundo se envolveu em um escândalo mundial sobre vazamento de dados de usuários da plataforma. O Facebook foi acusado, junto a assessoria política Cambridge Analytica, por revelar dados de um professor norte americano. 

Conforme foi dado o andamento processual, veio ao conhecimento público que o Facebook havia vazado dados pessoais de pelo menos 87 milhões de usuários. E no caso dos Estados Unidos, esse evento pode ter influenciado inclusive as eleições presidenciais de 2016.

Na ocasião, o Brasil fez valer a Lei recém aprovada no país sobre violação de dados e multou a empresa de Mark Zuckerberg em R$ 6,6 milhões de reais pelo vazamento de, pelo menos, 443 mil brasileiros. 

Nos Estados Unidos o Facebook foi multado em R$ 5 bilhões de reais, a maior quantia paga no setor de tecnologia. Recentemente, Zuckerberg recebeu a multa da Irlanda, pelo mesmo processo de 2018. 

No documentário da Netflix Privacidade Hackeada, é possível analisar com precisão sobre os problemas causados por esse vazamento de dados, e como isso implica em uma série de fatores sociais. 

O grande problema com a violação de dados

Dados como nome completo, data de aniversário, endereço, e-mail, número de telefone e documentos são um pacote de mão cheia para o meio digital. Há quem não tenha medo dos dados serem expostos nas redes sociais, e claramente não tem dimensão do perigo que é.

Ter as informações pessoais divulgadas implica em uma série de problemas. Há golpistas especializados exatamente neste tipo de crime virtual, de usar dados de outras pessoas para invadir redes sociais, contas bancárias e cartões de crédito. 

Além, é claro, da exposição de endereço, que pode acarretar em crimes como sequestro, tentativa de roubo de residência, de empresas, já que os golpistas sabem praticamente todos os seus dados se eles foram expostos.

Há também outro ponto, nos Estados Unidos, os dados do Facebook foram usados para manipular usuários acerca das eleições. O que também se especula de ter ocorrido no Brasil, segundo o documentário Privacidade Hackeada. 

O ponto chave em questão é que os nossos dados pessoais são nossa vida na internet. Ainda mais, é uma extensão da nossa vida na internet. Por isso é importante estar atento a qualquer violação, seja de qualquer natureza.

Além de estarmos suscetíveis a golpes, os nossos dados são extremamente importantes para algoritmos. Uma vez que um cliente compartilha seus dados com uma empresa, é dando a ela a confiabilidade em guardá-los. 

Por isso, atuar com dados pessoais de usuários é importante para os negócios, mas demanda muita responsabilidade sobre o cuidado em tê-los. Afinal, a LGPD está em vigor para assegurar que nada saia dos trilhos. 

O Google liberou o “Play System Update” de maio no início deste mês com algumas melhorias para a loja de aplicativos, mas estas não são as únicas mudanças chegando ao sistema Android. A lista de mudanças agora cita mais um recurso que está chegando para permitir que os pais consigam delimitar melhor o que seus filhos poderão usar no smartphone com o Family Link.

Segundo o Android Police, em breve será possível definir um aplicativo como tela inicial fixa no Android que ainda poderia ser supervisionado pelo Google Family Link. Este aplicativo ainda poderia ser utilizado para definir quais aplicativos os filhos podem acessar no celular por meio da supervisão parental.

A novidade foi lançada com o Google Play Services v22.15 que foi lançada em 16 de maio e requere que você também tenha a atualização Play System Update de maio para funcionar, pois ambas trabalham em conjunto para impedir a alteração do aplicativo de tela inicial.

Vale lembrar que o Family Link também permite gerenciar outros recursos que podem ser utilizados pelas crianças por meio de contas subordinadas. Dentre eles estão opções para definir horários em que a criança pode utilizar o smartphone, restringir acesso a certos conteúdos com base em classificação parental e até mesmo bloquear o aparelho remotamente.

https://www.tudocelular.com/google/noticias/n190147/google-family-link-funcoes-supervisao-play-system.html

 

Recentemente, o WhatsApp divulgou que liberaria para todos os usuários as funções de reações em mensagens nos chats do . A novidade chegou a ser celebrada por Mark Zuckerberg, CEO da Meta, no Facebook. “Reações no WhatsApp estão começando a rolar hoje”, seguido dos emojis de joia, coração, risada com lágrimas, espanto e celebração.  

Esses, inclusive, são os emojis disponíveis para reação no momento, mas já há testes para que qualquer figura possa ser utilizada em um futuro não tão distante. 

As figurinhas de reação aparecem logo abaixo das mensagens. No entanto, para poder reagir no WhatsApp é necessário que os usuários garantam que seu aplicativo está na versão mais atualizada, então, abra sua loja de apps para Android ou iOS e veja se não precisa fazer nenhuma atualização. 

Além disso, as reações, por ora, só estão disponíveis para a versão mobile da plataforma, ou seja, não é possível reagir a mensagens no WhatsApp Web.  

Como usar as reações no WhatsApp 

1 – Verifique se o aplicativo está na versão mais recente;  

2 – Selecione a mensagem que deseja reagir e mantenha ela pressionada;  

3 – Os emojis vão surgir, escolha uma das seis opções;

Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Imagem: Reprodução/Redes Sociais

4 – O emoji escolhido ficará aparente no canto da mensagem. Para retirá-lo, basta pressionar a mensagem mais uma vez. 

WhatsApp aumenta, e muito, o limite do tamanho de arquivos em transferências

Na mesma semana em que lançou as reações com emojis e começou a liberar as comunidades em partes do mundo (não no Brasil), o WhatsApp também aumentou, e muito, o limite do tamanho de arquivos para transferência. Agora, o mensageiro aceita arquivos de até 2 GB, mantendo a criptografia de ponta a ponta.

O aumento é considerável levando em conta que, anteriormente, esse limite era de apenas 100 MB. A novidade, porém, está sendo lançada aos poucos ao redor do mundo e pode levar alguns dias para chegar a todos os usuários. Um contador mostrando o tempo restante da transferência também foi adicionado.

https://olhardigital.com.br/2022/05/10/internet-e-redes-sociais/whatsapp-como-usar-as-novas-reacoes-de-mensagens/

Para concorrer com a plataforma de vídeos curtos, Instagram testa novos layouts para os usuários e adapta algoritmo para privilegiar conteúdos originais

Exemplo do que seria o novo feed do Instagram (Foto: Reprodução/Instagram)

Na tentativa de fazer frente à concorrência do TikTok, o Instagram está testando um novo layout para o feed, que traria vídeos verticais em tela cheia. Hoje, ao abrir o Instagram, o nome dos usuários aparecem acima das postagens e, logo abaixo, os vídeos ou fotos. Na nova configuração, os usuários veriam imediatamente o conteúdo, que traria os vídeos “mais para frente e ao centro”, segundo publicação do site The Verge

Os testes foram confirmados pelo CEO da empresa, Adam Mosseri, dizendo que fotos e vídeos mais “altos” começariam a aparecer em alguns feeds. Uma imagem compartilhada pelo Instagram mostra como seria esse novo feed: ocupado por uma postagem em tela cheia com comentários, legendas, curtidas e outros recursos colocados na parte superior da postagem, em vez de abaixo.

De acordo com a reportagem, Seine Kim, porta-voz da Meta, disse que os stories ainda estarão acessíveis na parte superior da tela. Pesquisa, compras e o próprio perfil de um usuário ainda serão acessíveis por meio de botões na parte inferior da tela. Notificações, mensagens e novos recursos de postagem permanecem no topo, juntamente com a capacidade de alternar entre contas. Kim diz que imagens estáticas também serão incorporadas ao feed de tela cheia.

Corrida contra o TikTok

A escolha do Instagram de testar feeds focados em vídeos não é uma surpresa. A empresa começou a adotar medidas para tentar barrar o aumento da popularidade do TikTok. Uma delas, por exemplo, foi oferecer bônus em dinheiro para criadores de conteúdo que fazem reels. Outra foi mudar o algoritmo de classificação para recompensar o conteúdo “original” sobre o conteúdo republicado. Esta última foi uma medida para tentar impedir que os usuários republiquem conteúdos do TikTok no Instagram.

https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2022/05/instagram-testa-feed-full-screen-semelhante-ao-do-tiktok.html

blankQuem Somos

Agência de marketing digital localizada na zona sul de São Paulo com mais de 11 anos de experiência em soluções digitais para pequenas empresas.

Somos uma agência de performance, nossas ações são guiadas por dados e com foco em um objetivo.

A nossa missão é empoderar você e facilitar sua tomada de decisões para que você possa ir tão longe quanto a sua imaginação e ousadia permitirem.

Além dos Serviços de Marketing Digital, nós desenvolvemos Ferramentas e Produtos para o mercado.

 

Sobre Nós

Top

latest android games

|

popular android games