fbpx

blank

O site do Orkut voltou nesta quarta-feira e causou alvoroço nas redes! A nostalgia tomou conta da web, principalmente por conta das comunidades, ponto forte da plataforma. Com uma mensagem de seu fundador afirmando que pretende retornar com novidades, o domínio Orkut foi reativado, mas a rede social — criada em 2005 e primeira de grande alcance, que cativou os brasileiros, mas já estava há oito anos fora do ar — ainda não está acessível a usuários. Sem dar detalhes do que virá, seu criador, então engenheiro de software da Google, o turco Orkut Büyükkökten, despertou saudade nos antigos usuários e curiosidade em várias gerações.

— O Orkut foi a maior rede social do Brasil, chegando a reunir aproximadamente 300 milhões de usuários e representar metade dos usuários dessa rede no mundo. Foi no final de 2011 que perdeu a liderança do ranking das redes sociais para o Facebook — lembra Marcelo Ramos Cerqueira, professor de Marketing da Universidade Candido Mendes (Ucam).

Quem usou a rede social certamente recorda algumas das comunidades das quais participava. Segundo Marcelo, essa era a principal ferramenta do Orkut, nas quais as pessoas com interesses em comum se reuniam e eram estimuladas conversas a respeito de temas específicos. O Facebook então surgiu como um ambiente mais “descolado”, com o usuário, suas atualizações e atividades no centro da interação, e foi adotado pelas pessoas com maior poder aquisitivo. De lá pra cá, muitas mudanças de comportamento e novas tendências virtuais surgiram, como as dancinhas e trends. E a pergunta é: o que o Orkut terá como novidade?

— Será que vai ser possível resgatar contas antigas? Acho que as pessoas vão entrar novamente no Orkut por curiosidade, pois a marca ainda é muito forte na memória dos brasileiros. Mas vivemos um momento em que as redes sociais são de nicho e cada vez mais com propósitos diferentes. Então o Orkut vai precisar ter um diferencial competitivo para manter as pessoas ali — aponta Victor Azevedo, professor de Marketing e Criatividade do Ibmec, lembrando que ter sido comprada pelo Google pode ser uma vantagem para a plataforma.

Mas as redes sociais, atualmente, são muito mais que plataformas de lazer. Viraram ferramenta de trabalho para uma nova categoria profissional, a dos influenciadores digitais. E atraí-los é importante.

— Os influenciadores ajudam e muito a levar e engajar o público em determinada plataforma. Além do conteúdo orgânico e com influenciadores, as marcas também impulsionam anúncios pagos nas redes — garante Fabrizio Galardi, sócio-diretor da agência Stage Digital, que conecta influenciadores e marcas, explicando que a rede precisa pensar neles: — Disponibilizar formatos interessantes para os creators fazerem entregas bem segmentadas para a audiência.

Das ferramentas que já existiam, Fabrizio vê as comunidades com potencial para receber publicidades:

— Pois reúnem tribos de diversos nichos e segmentos, com sinergia ao posicionamento de muitas marcas.

Segurança de dados e combate às fake news

Além de atrair usuários, o Orkut precisa se preocupar com novas demandas do mundo virtual. Carlos Afonso de Souza, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS Rio), diz:

— O Orkut lembra um tempo em que as redes sociais ainda não enfrentavam os fenômenos da desinformação e dos discursos tóxicos. Não existe garantia que essa nova interação do Orkut não acabe caindo nas mesmas armadilhas que outras redes caíram ao privilegiar o engajamento que publicações polêmicas, e potencialmente ofensivas, podem causar. Seria muito ruim se as nossas memórias de uma experiência mais inocente e divertida sobre o que significa estar on-line acabarem sendo confrontadas com uma realidade bem diferente que se vive hoje em 2022 — diz Souza.

Que acrescenta: — Esperamos que o Orkut, se voltar para valer, possa empregar as melhores práticas de gestão de conteúdo, combate às contas automatizadas e desinformação para fazer valer a promessa de toda rede social que é promover uma comunicação global e acesso à informação e entretenimento.

Segurança de dados, combate a fake news e a discursos de ódio são alguns dos temas centrais na internet atualmente. E Márcio Gonçalves, docente da Estácio e especialista em Mídias Digitais, acredita que os próprios usuários vão cobrar por medidas para lidar com isso.

— No cenário em que o usuário vê nas redes sociais a possibilidade de proliferar discurso de ódio gratuitamente, se não houver controle, a cobrança por regras mais rígidas de controle virá mais cedo ou mais tarde. O Orkut foi sucesso no Brasil em uma época sem muitas regras de uso da internet. Agora o discurso é outro. Parte da sociedade está mais letrada midiaticamente. As plataformas estão sendo cobradas de moderar proliferação de fake news e de desinformação — pontua Marcio Gonçalves, docente da Estácio e especialista em Mídias Digitais.

Leia depoimentos de usuários antigos e de influenciador

‘Vai dar uma nostalgia’

Para o professor de educação física João Marcos Veras, de 25 anos, lembrar da adolescência é recordar os mergulhos no universo do Orkut. As interações sociais na internet, antes da era dos smartphones, surgiam na troca de depoimentos no perfil de amigos, dar risadas com Buddy Pokes e lutar pelo domínio em jogos interativos, como Colheita Feliz.

Mais de dez anos depois, recorda com carinho a primeira imersão nas redes sociais com o Orkut e conta os minutos para ver quais novidades vão surgir nessa nova era da plataforma.

— Era um lugar de socialização que a gente começou a ter e faz muita falta, porque hoje em dia não é a mesma coisa. A gente tem Facebook há tanto tempo que nem lembra mais como era um Orkut, e voltar para isso vai ser muito diferente, mas vai dar uma nostalgia.

‘Muitas amizades se formaram ali’

A operadora de aeroporto Janaína Durão, de 46 anos, hoje mora em Portugal, mas se recorda das incontáveis amizades criadas pela rede social. Ela encara o Facebook como uma ferramenta de aproximação, mas também de propagação do ódio. No caso do Orkut, as lembranças são positivas:

— Tínhamos as comunidades, onde conversávamos, trocávamos ideias, muitas amizades se formaram ali justamente pelos mesmos gostos e ideias. Éramos tão ligadas que uma das meninas casou em Milão, na Itália, e na hora de jogar o buquê fez uma transmissão para o grupo, e todas nós assistimos. Foi emocionante! Tomara que recuperem nossas contas antigas, será uma espécie de diário.

‘Ficava vendo comunidades todos os dias’

Ex-BBB e influenciador digital, o professor João Luiz Pedrosa, de 25 anos, não deixa passar os detalhes da rotina na rede social, das comunidades que tentava fazer parte, e até tem sugestão de nome de usuário, caso a plataforma volte a funcionar: Jo@o Lu1Zz. Agora, não deixa de especular como seria esse novo universo.

— Eu fico imaginando como seriam as publicidades… Imagina só os depoimentos, comunidades, aquelas barras de 100% amável e confiável. Demais! Só iam precisar se adequar para poder postar vídeo, né? — comenta.

Relembre as ferramentas da rede social

Depoimentos – As contas pessoas no Orkut tinham um ambiente reservado para receber homenagens de amigos. Uma das brincadeiras dos ciumentos de plantão era disputar o “topo” do ambiente de um amigo. Mas, como as mensagens também precisavam ser aceitas pelo dono do perfil para serem exibidas ao público, era comum compartilhar fofocas e segredos por ali.

Recados (scraps) – Os recados eram textos mais curtos deixados nos murais dos colegas. Podiam ser privados, para apenas o dono do perfil visualizar, ou públicos. Era normal se identificar por ali antes de pedir para se tornar amigo de alguém na plataforma. E muitos avisavam: “só add com scrap”.

Correntes – Nos murais de scraps, era certo ver correntes sendo repassadas. As mensagens virais podiam ser fofas, de humor, terror ou até, infelizmente, de notícias falsas, que algumas das vezes pediam cliques em algum link malicioso.

Atributos – Em uma atualização, a rede social passou a permitir a avaliação de amigos como sexys, confiáveis e legais. As votações eram anônimas e os resultados eram exibidos publicamente. Também existia um indicador de fã, que era representado no perfil da rede social por uma estrela.

Comunidades – As comunidades eram grupos — que muitas vezes reuniam pessoas sob um interesse ou hábito comum ou às vezes com títulos apenas engraçados – que permitiam a criação de fóruns de discussão. Nesses fóruns aconteciam debates, jogos e dinâmicas, como: “A pessoa acima parece ter qual profissão?”, “Coloque ‘batata’ no nome de um filme”.

Dez comunidades populares

Eu Odeio Acordar Cedo

Sou legal, ñ tô te dando mole

Deus me disse: desce e arrasa!

Odeio esperar resposta no MSN

EU AMO CHOCOLATE

Pareço metida(o) mas sou legal

Segurei p ñ rir mas ñ consegui

AMO ouvir música ALTA

Só mais 5 cinco minutinhos

Eu abro a geladeira pra pensar

https://extra.globo.com/economia-e-financas/o-orkut-vai-voltar-rede-deve-ter-diferencial-atrair-influencers-atender-novas-demandas-rv1-1-25495654.html

O Google Chrome chegou à versão 101 como uma atualização menor, com poucas mudanças visíveis para o usuário, já que quase todas estão escondidas das pessoas. A maioria dos ajustes foi feito no código do navegador, voltados para otimizar a experiência, mas ainda estão em fase de finalização.

O principal “lançamento” para o usuário não está liberado publicamente e foca no gerenciador de senhas integrado do programa. Ao ativar o sinalizador (chrome://flags/#password-note), é possível adicionar notas de texto às senhas gravadas.

A ideia é adicionar contexto ou detalhes importantes a alguma credencial, como a data em que você trocou de senha ou alguma menção à resposta para as perguntas de segurança. Isso ainda está em fase de testes, portanto pode chegar oficialmente apenas em uma versão futura do Chrome.

Grupos de guias no desktop

É praticamente impossível achar alguém que use o Chrome no desktop sem ter várias guias abertas simultaneamente. O Chrome já havia lançado um recurso para criar grupos que possibilita melhor organização, mas esta atualização agora permite salvar um grupo para usar mais tarde.

A opção de Salvar Grupos de guias foi otimizada para ser mais funcional (Imagem: Reprodução/Android Police)

A opção de Salvar Grupos de guias foi otimizada para ser mais funcional (Imagem: Reprodução/Android Police)

Além de manter os grupos registrados na memória, o usuário pode removê-lo por um tempo e depois voltar, como se tivesse carregado um documento de Word, por exemplo. No modelo antigo, se você desfizesse um grupo gravado, ele era perdido para sempre.

Tal qual o outro recurso citado, o salvamento de grupos de guias precisa ser ativado com um novo sinalizador: chrome://flags/#tab-groups-save. As páginas serão gravadas na exata ordem e com os nomes de grupos atribuídos na barra de favoritos, assim a pessoa consegue manter o acesso rápido sem precisar deixar sites abertos, que consomem toda a sua memória RAM.

Interface de downloads melhorada

Não é de hoje que os desenvolvedores do Chrome buscam otimizar os downloads, principalmente porque o sistema do navegador parece meio defasado se comparado a outras soluções (inclusive as baseadas no Chromium). Agora, em vez de apenas colocar os arquivos transferidos naquela barra inferior, o programa passará a exibi-los em um menu à direita da barra de endereços.

A interface de download deixa de aparecer na parte inferior para ganhar um menu dedicado (Imagem: Reprodução/Android Police)

A interface de download deixa de aparecer na parte inferior para ganhar um menu dedicado (Imagem: Reprodução/Android Police)

O ajuste também possibilita ver o progresso individual de cada transferência e o usuário pode clicar com o botão direito do mouse no item desejado para ter ações rápidas, como abrir ou cancelar um download. Essas opções ainda podem mudar e também estão escondidas atrás de um sinalizador: chrome://flags/#download-bubble.

Fora esses recursos ocultos, o Chrome 101 traz uma opção para que sites esqueçam dispositivos USB conectados anteriormente. A ideia é limpar aquela longa lista de aparelhos e gadgets antigos que você não usa mais e atrapalham o fluxo de trabalho. Há também uma ferramenta de otimização do algoritmo de carregamento para determinados sites, bem como para exibir os recursos utilizados.

Vale lembrar que a maioria das mudanças mencionadas são para o Chrome 101 no desktop, portanto não funcionam na versão para iOS nem para Android. Se você já tem o programa, atualize-o ao clicar no Menu de três pontos > Ajuda > Sobre o Google Chrome. Espere concluir o download, reinicie o software e desfrute das novidades do navegador mais popular do mundo.

https://canaltech.com.br/apps/google-chrome-101-ja-esta-disponivel-confira-todas-as-novidades-215271/

Ter crescimento de vendas é o objetivo de toda empresa, e com a estratégia do funil de vendas isso é viável

Obter resultados significativos dedicando menos tempo e esforço contínuo é possível. Ter estratégias que tragam resultados sem precisar se preocupar o tempo inteiro existe. Este é o funil de vendas.

Esse método utilizado pelo marketing digital ajuda a impulsionar o crescimento da receita das empresas. Isso porque, o funil de vendas trata-se de uma estratégia para atrair os potenciais clientes no decorrer do processo de compra. 

Quanto mais claro for o entendimento sobre o método, mais assertivo ele será e trará os resultados projetados pela empresa. Com a atração de novos clientes potenciais, ou como conhecemos no marketing digital, os leads. 

O que é um funil de vendas?

O funil de vendas, ou em outros casos, funil de compras, é o nome dado ao processo do consumidor desde a primeira interação com o produto ou serviço, até a conclusão da compra. 

Essa estratégia é dividida em três etapas, o topo do funil é o mais amplo, e tem como objetivo atrair o maior número de leads para o próximo estágio. Nesse processo, os usuários que não se enquadram no perfil de cliente, acabam saindo do funil.

Cada empresa tem o seu perfil de cliente ideal, o que chamamos de ICP. E criam gatilhos que atraem esse público específico. Logo, quando alguém entra em contato com a empresa e não se enquadra, simplesmente não prossegue no processo de conclusão de compra.

Como um funil, a parte de cima é maior, na qual os clientes são captados de forma ampla. E no decorrer do processo de venda, somente ficam os que de fato possuem interesse em concluir a compra. 

O funil de vendas é dividido em três etapas: o topo, o meio e o fundo. Porém, o topo é dividido em duas partes que definem se o usuário é ou não um cliente ideal. Vamos exemplificar:

Topo do funil: é quando o consumidor tem o primeiro contato com o anúncio/site/rede social da empresa. Por esse motivo, é bom que as informações sobre o produto ou serviço que a empresa oferece seja claro, para que haja identificação. 

Essa etapa é muito importante porque nem sempre o usuário está interessado em comprar algo, mas é atraído através do marketing que a empresa oferece para chamar a atenção dele. Esse estágio é o que chamamos de aprendizado e descoberta.

Esse contato com a empresa pode vir através de pesquisas no Google, compartilhamento em redes sociais, ou até mesmo um anúncio fora das mídias sociais. Garantir que o cliente se interesse é primordial. 

Pois, a partir de então, ele passa a avaliar se de fato não precisa do produto ou serviço que a empresa oferece, analisa os pontos, e se reconhece que tem um problema e precisa resolver com aquilo, ele prossegue no funil. É quando o usuário passa a ser um lead, cliente em potencial. 

Nesse ponto, é preciso que o time de vendas, através de gatilhos criados para gerar interesse ao cliente, procure entender o que estão procurando. Mas é importante que essa etapa seja estratégica. 

Isto é, que a empresa eduque o lead sobre o que oferece, a importância que tem, e o quanto faria a diferença para ele. De formas sutis, para gerar interesse de compra, e não empurrar algo ao cliente. 

Meio do funil: os leads que passam para o meio do funil procuram entender o que está sendo oferecido, passam a considerar uma solução. Quando mais leads passarem para esse estágio, quer dizer que mais pessoas tiveram a atenção voltada para o que a empresa oferece. 

Geralmente, os clientes que chegam a esse estágio tem interesse em concluir a compra. Porém, há concorrência, na qual ele pode comparar antes de de fato decidir o que fazer. Neste ponto, ter um time de vendas capacitado é importante.

Quanto mais pessoas se identificam com a empresa, a atenção e a solução que ela oferece, mais chances há das vendas serem concluídas com sucesso. E o melhor, tendo fidelização de clientes devido a boa experiência.

Fundo do funil: é o momento em que o cliente quer concluir a compra, porém ainda avalia valores e benefícios que outras empresas oferecem e qualidade do produto/serviço e atendimento. Neste ponto, ter diferentes estratégias é interessante.

Há clientes que precisam de suporte, às vezes para explicar algo, ou então, somente para se sentir seguro em efetuar a compra. Ter nesse estágio um material que demonstre ao lead a experiência de outros consumidores é crucial.

Pois uma das coisas que mais trazem segurança para um cliente em um ambiente online de compra é a avaliação. Seja através de nota, comentários e reviews do produto ou serviço prestado para atestar a qualidade. São quando se tornam, de fato, clientes.

Uma demonstração ilustrativa do funil de vendas:

blank

Como melhorar o funil de vendas?

Conhecer o perfil do cliente é mais do necessário para a criação de um funil de vendas efetivo e prático. Tendo as adequações necessárias, a empresa perde menos tempo com usuários que não têm nenhum interesse em usufruir do que a marca oferece.

Conheça o perfil do cliente: conhecer o perfil do cliente é essencial para otimizar o funil de vendas. Quanto mais informações sobre o usuário se obter, mais fácil será compreender o que ele espera da empresa e como oferecer o produto. 

Imagine que o seu funil de vendas está segmentando perfis errados, dificilmente terá algum resultado. Quando há erro na captação, todo o resto simplesmente não funciona. E com isso, a empresa perde tempo, energia e dinheiro.

Tenha como primeiro plano criar o perfil ideal do cliente, o ICP. Verifique qual o nicho de público que sua empresa oferece serviços e foque em conquistar esses clientes potenciais. Outro ponto importante é avaliar os concorrentes e adequar técnicas que estão funcionando para eles.

Conteúdo educativo: como falamos anteriormente, educar o cliente potencial é crucial. Entenda como educar o fato de oferecer soluções para o que o usuário procura. Seja e-books, banners ou até mesmo e-mails que expliquem melhor com o que e como a empresa atua. 

Uma das formas de atrair o público correto, e até mesmo direcionado para os conteúdos sobre a empresa, é o uso de palavras-chave. Nem sempre o usuário conhece a empresa, e por meio de palavras-chave, acabam encontrando o que procura.

Por esse motivo, dedicar tempo a conhecer o público-alvo da empresa e quais as palavras que chamam a atenção dele, é extremamente importante. É o que trará resultados significativos para alcançar os objetivos de vendas.

Tenha contato com o cliente: quando o usuário passa a ter interesse no que a empresa oferece, o chamamos de lead. E neste ponto, é necessário que a empresa crie uma estratégia de obter o contato desse possível cliente. 

Isso porque, é através disso que a empresa conseguirá encontrar em contato para oferecer seus serviços ou produtos. Seja a captação de e-mail ou telefone, ter uma forma de entrar em contato é um passo importante. 

Divulgação em mídias sociais: quando o cliente procura por serviços que a empresa oferece, e clica no site ou anúncio, o Google entende o interesse do cliente e passa a mostrar nas redes sociais do usuário anúncios sobre a pesquisa, é o que chamamos de algoritmo.

Outra forma é investir em divulgação, campanhas e anúncios. Com fotos chamativas, textos persuasivos e preços atraentes. O Google é a melhor plataforma para investir em divulgação, pois oferece uma rede de displays que anunciam também o que a empresa quer.

Invista em feedbacks: ter clientes falando bem do que a empresa oferece é fundamental como histórico de sucesso. Muitas pessoas buscam saber a opinião de quem já teve contato com os serviços da empresa antes de comprar alguma coisa. 

Após a conclusão da venda, invista em saber a satisfação do cliente. Seja por mensagem, ligação ou até mesmo formulário por e-mail. Dedique um espaço em seu site ou página nas redes sociais para expor o sucesso que a empresa tem tido com a prestação de serviços. 

O pós-venda é tão importante quanto o pré: muitas empresas falham neste ponto, é mais simples convencer um cliente a comprar do que mantê-lo fidelizado. Isso porque, há negócios que visam somente o lucro, e não a satisfação do cliente. 

É preciso entender que o sucesso de um funil de vendas também vem de forma orgânica. De clientes que já compraram e também indicam a empresa. É preciso investir em pós-venda que funcionem e estejam à disposição do cliente. 

Ter sucesso em vendas é prever e saber que erros serão cometidos e que precisarão ser resolvidos. E buscar, antes mesmo de acontecer, formas de lidar com esses problemas. Realmente se colocar no lugar do cliente e entender os pontos que ele levanta como queixa e resolvê-los.

Esteja à disposição: seja no pré, durante ou pós-venda, estar a disposição do cliente é crucial para dar confiança no trabalho que a empresa está oferecendo. Entendemos que muitas pessoas precisam de suporte, e ter esse ponto é um diferencial.

Quando todos esses pontos são alinhados, a empresa passa a ter mais chances de conquistar lugares maiores no meio digital. O importante é compreender, de fato, que não é somente o lucro que importa, e sim a satisfação do cliente com a empresa.

O sucesso se mede pelo tempo que se dedica para as coisas acontecerem, se há muito esforço em dedicar o melhor serviço aos clientes, isso será recompensado de forma natural e orgânica. Esforço e dedicação para compreender o público da empresa é a chave para alcançar objetivos maiores. 

Conteúdos digitais feitos com base em infográficos têm mais chances de viralizar e ser facilmente absorvidos nas redes sociais

Houve uma pesquisa realizada pela Forrester, que tem como objetivo saber sobre a importância do conteúdo visual e como isso impacta na absorção do assunto criado pelas empresas. O resultado do estudo mostra que 90% das informações transmitidas para o  cérebro são através de conteúdos visuais; outro fator que se destaca nesta pesquisa é de que o cérebro processa imagens 60.000 mais rápido do que um texto simples. 

Com isso, podemos levar em consideração que os posts feitos com imagens em redes sociais têm em média 94% mais engajamento do que outros tipos de posts. Ou seja, optar pela estratégia de utilizar o infográfico como parte do marketing digital da empresa é uma boa forma de crescer na internet e obter destaque nos conteúdos gerados.

Mas, afinal, o que é o infográfico? Aqui iremos explicar esta estratégia que ganha espaço nas redes sociais, e que, se uma empresa adotar essa maneira de fazer seus posts na internet, tem grandes chances de viralizar três vezes mais do que outras formas de abordagem. Bom, os infográficos são conteúdos criados para se comunicar com o cliente de um modo objetivo, utilizando principalmente recursos visuais, atrativos e que tenham relação com a identidade visual da marca. 

Isso inclui a elaboração do post, as cores, a fonte, os desenhos, as ilustrações e o texto conciso que estará naquele infográfico. Todos esses detalhes fazem parte da estratégia de marketing que trará bons resultados à empresa, juntamente com uma boa elaboração de conteúdos.

Essa forma de abordagem ilustrativa e certeira nas redes sociais e também nos sites é altamente atrativa, pois é uma maneira de os consumidores absorverem as informações de forma rápida e objetiva. Além de serem facilmente compartilhadas entre os clientes, gerando ainda mais visualização e impactos positivos nas redes. 

Dentro de um site, as chances de crescimento são de 12% ao utilizar o infográfico como estratégia de marketing. Um bom exemplo é quando se tem um site de turismo, no qual o internauta procura uma passagem aérea para Belo Horizonte, e o site utiliza o infográfico para informar, através de ilustrações e textos objetivos, qual seria a melhor opção para o cliente, comparando valores, disponibilidade e variações das passagens com outras companhias aéreas.

Existem alguns formatos de infográficos, como: infográfico interativo, infográfico animado e infográfico estático. O importante é a empresa, juntamente com a equipe de marketing digital, encontrar a melhor forma de aplicar esta estratégia, para que seja uma boa forma de crescimento da marca, gerando bons conteúdos publicitários, com assertividade nos posts, aumentando o engajamento e, consequentemente, alcançando novos clientes para efetuar compras ou obter serviços.

Qual a importância dos infográficos na sua estratégia de marketing?

A Microsoft superou as expectativas de Wall Street para lucro e receita no terceiro trimestre fiscal, beneficiando-se da demanda por serviços de computação em nuvem, impulsionados por modelos híbridos de trabalho. 

As ações da empresa subiam cerca de 1% no after-market após a publicação do resultado.

A empresa registrou receita de 49,36 bilhões de dólares no trimestre, ante faturamento de 41,7 bilhões um ano antes. Analistas, em média, esperavam receita de 49,05 bilhões de dólares, segundo dados da Refinitiv. 

O crescimento anual de 46% na receita da divisão de computação em nuvem Azure ficou estável em relação aos três meses imediatamente anteriores e em linha com as estimativas de crescimento anual de 45,6% compiladas pela Visible Alpha. 

Ainda assim, o crescimento da Azure mostrou queda em relação ao ano fiscal de 2020, quando o crescimento estava na faixa de 60%. O lucro líquido da Microsoft subiu para 16,73 bilhões de dólares, ou 2,22 dólares por ação, no trimestre encerrado em 31 de março, de 15,46 bilhões, ou 2,03 dólares por ação, um ano antes. Analistas, em média, tinham expectativa de lucro de 2,19 dólares por ação.

https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2022/04/26/microsoft-tem-resultado-acima-do-esperado-com-forca-de-computacao-em-nuvem.htm

O Google, da Alphabet, começou a atender pedidos para remover resultados de pesquisa contendo endereços residenciais, números de telefone e contas de e-mail, na mais recente mudança em sua postura sobre privacidade pessoal.

A ferramenta de busca na internet mais usada do mundo disse nesta quarta-feira que a mudança de sua política seguiu a crescente demanda de usuários e normas em evolução sobre a ameaça representada pelo fácil acesso a detalhes de contato.

“As pesquisas nos disseram que há uma quantidade maior de informações de identificação pessoal que os usuários consideram confidenciais”, disse Michelle Chang, líder de política global para pesquisa do Google, em entrevista. “Eles estão cada vez mais relutantes em tolerar esse conteúdo online.”

Até agora, o Google só aceitava solicitações para remover páginas que compartilhavam informações de contato junto com algum tipo de ameaça ou pagamento necessário para remoção. O site também removeu links para números de contas bancárias e cartões de crédito e registros médicos.

A empresa recebeu milhares de solicitações nos últimos anos, aprovando cerca de 13% delas. Chang disse que espera que a taxa de aprovação cresça sob as novas regras, que também permitem remover links para credenciais de login confidenciais.

As políticas mais antigas do Google permitem a solicitação de remoção de resultados direcionados a pornografia indesejada e, na Europa, informações pessoais “imprecisas, inadequadas, irrelevantes ou excessivas”. No ano passado, o Google começou a permitir a remoção de fotos de menores.

Chang disse que o Google pretende preservar a disponibilidade de dados de interesse público. Também não removerá informações que “apareçam como parte do registro público nos sites do governo ou de fontes oficiais”.

As páginas da web que o Google descarta ainda podem ser acessadas por meio de outros mecanismos de busca ou diretamente, e Chang disse que os usuários são incentivados a entrar em contato com os editores para resolver “a raiz do problema”.

https://www.terra.com.br/noticias/tecnologia/google-vai-aceitar-pedidos-para-remover-dados-pessoais-em-resultados-de-pesquisa,ad5defe37410379117a0aea74cf6005dmhzbp4g0.html

blankQuem Somos

Agência de marketing digital localizada na zona sul de São Paulo com mais de 11 anos de experiência em soluções digitais para pequenas empresas.

Somos uma agência de performance, nossas ações são guiadas por dados e com foco em um objetivo.

A nossa missão é empoderar você e facilitar sua tomada de decisões para que você possa ir tão longe quanto a sua imaginação e ousadia permitirem.

Além dos Serviços de Marketing Digital, nós desenvolvemos Ferramentas e Produtos para o mercado.

 

Sobre Nós

Top

latest android games

|

popular android games