fbpx
blank

Pesquisa do UOL aponta que 78% dos MEI’s não possuem site próprio

Tempo Estimado de Leitura: 2 minutos

Criada em 2009, com a finalidade de atender profissionais autônomos e pequenos empresários que, muitas vezes, trabalhavam de maneira informal, a modalidade de “Microempreendedor Individual” (MEI) chega em 2021 com 78% dos microempreendedores brasileiros sem site para divulgação dos próprios serviços ou produtos. É o que releva a Pesquisa Uol.

O levantamento também aponta que 55% dos empreendedores que participaram do estudo decidiram ser MEI’s para regularizar o trabalho de acordo com as leis do país e receber benefícios previdenciários, 34% estão em busca de realizar o próprio sonho enquanto microempreendedor, ao passo que 33% têm MEI para prestar serviços a outras empresas.

Além disso, os MEI’s utilizam as redes sociais como o principal meio de divulgação gratuita dos seus serviços, com o WhatsApp (88%) em destaque, seguido pelo Facebook (70%), Instagram (69%) e TikTok (20%).

“O levantamento pode mostrar que ter o próprio negócio é um caminho repleto de desafios, principalmente quando a maioria, além de administrar o empreendimento, também precisa entender quais são as leis e seguros disponíveis. Nós compreendemos esses dilemas e, por isso, oferecemos o suporte do UOL Meu Negócio para apoiar o micro e pequeno empreendedor nesta jornada”, ressalta Ricardo Leite, Diretor de Produtos Digitais do UOL.

Os resultados do estudo foram obtidos por meio de um questionário online pela plataforma MindMiners, com a participação de 200 MEI’s de todo o Brasil, provenientes de todas as classes sociais, entre os dias 10 e 16 de maio deste ano.

Com a Pesquisa Uol também foi possível apontar que o perfil microempresarial brasileiro é composto por 52% de pessoas do gênero feminino. Dentre todos os respondentes, a faixa etária mais representativa (28,5%) é entre os 25 e 34 anos.

Para auxiliar o micro e pequeno empreendedor, o UOL Meu Negócio disponibiliza produtos que atendem às necessidades específicas deste público, como registro de domínios, criador de sites, e-mail profissional, além da Loja VirtUOL, a plataforma ideal para quem quer começar a vender pela internet. A marca também oferece ferramentas de gestão do negócio, além de soluções de Marketing Digital.

Ver
blank

Pesquisa revela – Setor de Educação registra retomada no faturamento

Tempo Estimado de Leitura: 3 minutos

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, disse em entrevista que a redução de medidas restritivas não é suficiente para a retomada do faturamento de pequenos negócios, já que a queda de receitas se mantém estável desde fevereiro. Entretanto, a pesquisa mostra que que as empresas que retomaram o faturamento são de setores relativamente menos impactados pela pandemia – Educação, saúde e bem-estar aparecem na lista

Segundo a pesquisa: comércio de alimentos, logística, negócios pet, oficinas e peças, construção, indústria de base tecnológica, educação, saúde e bem-estar e serviços empresariais.

Observou, no entanto, que até 9,5 milhões de pequenos negócios podem ter retomado o nível equivalente ao registrado antes da pandemia da covid-19 até 1 de setembro de 2019, o que representa cerca de 54% do universo de microempreendedores individuais e micro e pequenas empresas brasileiras.blankblank

“Vacina é sinal de retomada, sinal de desenvolvimento”, disse, ao destacar os resultados da 11ª edição da pesquisa “O Impacto da pandemia do coronavírus nos Pequenos Negócios”, realizada pelo Sebrae com a Fundação Getulio Vargas (FGV), a partir de dados da Fiocruz e do Ministério da Saúde.

Pesquisa

Segundo o presidente do Sebrae, apesar do novo movimento de reabertura da economia e da diminuição das restrições promovidas pelos governos estaduais e municipais, em função da crise causada pela covid-19, o percentual de empresas que continua registrando perdas no faturamento, de 79%, continua inalterado desde fevereiro.

O índice é o pior desde julho de 2020, quando 81% dos pequenos negócios revelavam perda de receitas.

O levantamento também revelou que, na média, as pequenas empresas estão faturando 43% menos do que o registrado antes da pandemia, o pior resultado desde julho do ano passado (45%).

Carlos Melles revelou ainda que, em maio, pelo segundo mês consecutivo as micro e pequenas empresas demonstraram um sinal de recuperação, após uma forte queda de confiança em março.

Índice de Confiança

Assim, o Índice de Confiança de Micro e Pequenas Empresas (IC-MPE) subiu 5,4 pontos em maio, atingindo o patamar de 935 pontos, o maior desde dezembro de 2020.

Já o Índice de Confiança subiu 11 pontos no acumulado de abril e maio. No mesmo período, as MPE do Comércio melhoraram 22 pontos. Conforme publicado pela Agência Brasil.

De acordo com o estudo, o número de empresas que atuam em locais com restrição caiu de 54%, em fevereiro (2020), para 32%, em maio, e a quantidade de pequenos negócios operando (com ou sem mudança) se manteve estável em 80%, nesse mesmo período.

“A pesquisa nos permite perceber que apenas a autorização para reabertura das empresas não é fator suficiente para influenciar de forma positiva o faturamento desses negócios. Por isso é fundamental que a vacinação seja acelerada e que sejam criadas novas políticas que amparem os empreendedores, ampliem o acesso ao crédito e reduzam o custo desses empréstimos de forma rápida”, disse o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

A queda no movimento de recuperação também tem deixado os donos de pequenos negócios cada vez mais aflitos e apreensivos, mostra a pesquisa. Eles acreditam que o retorno à normalidade ocorrerá apenas em outubro de 2021, ou seja, daqui a 18 meses. Esse índice tem crescido desde novembro do ano passado, quando o tempo de retorno estimado estava em 14 meses.

“Todo esse cenário tem feito com que 56% dos entrevistados estejam aflitos e preocupados com o futuro das suas empresas, já que para 75% deles a empresa é a principal fonte de renda da família”, observa o presidente do Sebrae.

Metodologia

A pesquisa quantitativa entrevistou 7.820 microempreendedores individuais (MEI) e donos de pequenos negócios entre os dias 25 de maio e 1º de junho, em todos os estados e no Distrito Federal, por meio de formulário online.

O erro amostral é de 1% para mais ou para menos para os resultados nacionais. O intervalo de confiança é de 95%.

Ver
pix pagamentos instantâneos

Pix está liberado para pagamento de tributos das Pequenas Empresas

Tempo Estimado de Leitura: 2 minutos

Desde o dia 22 de abril de 2021, micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais (MEI) podem usar os pagamentos instantâneos (PIX),  para recolher os tributos do Simples Nacional.

A expectativa é que a facilidade de pagamento beneficie mais de 16 milhões de empresas dessas categorias.

blank

Segundo o site Agência Brasil, o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) terá um código QR (versão avançada do código de barras).

Basta o contribuinte abrir o aplicativo da instituição financeira, escolher a função PIX e fotografar o código com o celular para fazer o pagamento.

A solução foi desenvolvida pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), que implementou melhorias no Portal do Simples Nacional. 

Veja abaixo como funciona o pagamento por QR Code:

blank

O Pix também está disponível para os contribuintes que renegociaram débitos com o Simples Nacional.

Segundo o Serpro, a novidade facilita o pagamento das parcelas a qualquer hora e dia da semana, desde que o banco ofereça a ferramenta.

Números da Receita

    • 5 milhões de micro e pequenas empresas;
    • 11 milhões de MEI inscritos no Simples Nacional*

Segundo André de Cesero, diretor de Relacionamento com Clientes do Serpro:

Com a quantidade de empresas cadastradas nesse regime de tributação, seguimos ampliando nossas ações para que o processo de cumprimento de obrigações pelos empregadores seja cada vez mais simples, mais ágil explica.

O Simples Nacional é um regime de tributação especial da Receita Federal aplicável às microempresas (ME), empresas de pequeno porte (EPP) e ao microempreendedor individual (MEI).

Desde o fim de 2020 o Banco Central e Receita Federal sinalizavam com a possibilidade de extensão do PIX ao Simples Nacional.

Cronologia

Em Dezembro

    • Empresas de médio e grande porte tiveram o novo sistema incorporado para pagamento de tributos e obrigações.
    • O recurso foi disponibilizado aos empregadores domésticos que começaram a recolher o e-Social.

Fevereiro

    • O sistema de pagamento instantâneo (Pix) começou ser utilizado para os pagamentos de tributos estaduais e municipais.
    • O projeto desenvolvido por governos locais e Banco do Brasil.
Ver

blankQuem Somos

Agência de marketing digital localizada na zona sul de São Paulo com mais de 11 anos de experiência em soluções digitais para pequenas empresas.

Somos uma agência de performance, nossas ações são guiadas por dados e com foco em um objetivo.

A nossa missão é empoderar você e facilitar sua tomada de decisões para que você possa ir tão longe quanto a sua imaginação e ousadia permitirem.

Além dos Serviços de Marketing Digital, nós desenvolvemos Ferramentas e Produtos para o mercado.

 

Sobre Nós

Top

latest android games

|

popular android games